Medo de envelhecer…

Essa semana eu andei pensando em um medo que, creio eu, é universal: medo de ficar velha. Os blogs são cheio de recomendações e as lojas de cosméticos cheias de produtos para evitar, disfarçar, corrigir as linhas de expressões. Daí entra em cena o botox e as cirurgias plásticas.

Vi em um blog uma frase que me deixou chocada – era algo como: “use cremes antirrugas desde seus 20 anos, nada de esperar as rugas aparecerem hem?!”.

Bom, sei que o que ela quis dizer é que é melhor prevenir do que remediar, mas o que me incomodou foi a ideia de que a cada dia se exige mais cedo o modelo utópico da juventude eterna.

Não sei se é porque ainda tenho vinte-e-poucos anos e que não tenho ainda esse problema, mas acho isso a maior besteria do mundo!

Por que temos que manter nosso rosto de 20 anos até os 60? Ou pelo resto da vida? O que há de mau em deixar o mundo saber que você não via teletubbies na sua infância, mas que que curtiu o primeiro Rock in Rio? Ou viu aqueles inesquecíveis festivais da MPB da década de 70? Ou que viveu os “Anos Dourados”? Ou mesmo que já tem a maturidade de quem viu o fim da 2a Guerra Mundial? Que mal há  em confessar que a adolescência já passou e assumir seus 20, 30, 40, 50, 60, 90 anos?

Há beleza no tempo! O tempo deixa o sinal de amadurecimento, de sabedoria, de VIDA.

Lembro que uma vez, na escola, estudando geopolítica -ou sei lá o quê-, o professor disse que como a maioria da população era jovem, esse se tornou o padrão que todos querem alcançar. Disse que a aparência de juventude seria sinônimo de aparência de beleza , pois ser jovem seria estar dentro do padrão – e ninguém quer ficar fora do padrão.

Tudo bem que meu professor não era nenhum antropólogo, sociólogo ou nada do gênero, mas acho que o que ele disse faz algum sentido.

Mas, sinceramente, que beleza existe em ficar esticada feito um plástico repuxado? Que tal se encher de plástica e ficar assim:

Sem uma ruga sequer! Juventude eterna!

Vamos lá, isso é beleza?

Ouvi o caso de uma adolescente que disse a um pastor que não queria envelhecer nunca. Então ele respondeu “tudo bem, vou orar para Deus te levar agora”! Claro que ela rejeitou a oração, mas a moral aqui é: se você não quer morrer cedo, você necessariamente vai ficar ficar velha.

Eu, particularmente, prefiro o envelhecimento à morte precoce.

Sabe o que eu acho um visual incrível? Os cabelos brancos da  Meryl Streep em “O diabo veste Prada”.

Não vou mentir aqui e dizer que não arranco meus insistentes e prematuros fios brancos, mas de verdade, pretendo deixar meu cabelo como o dela quando meus brancos não forem mais a exceção e passarem a ser a regra. Aqui se vê o charme de assumir a idade que se tem, sem deixar de ser charmosamente poderosa. Até acho que pode funcionar na vida real. Sei que durante a transição dos fios totalmente escuros, para os totalmente brancos vai ser dificil evitar a aparência  “envelhecida”, mas acho que o final pode valer a pena.

E quer saber? Acho muito mais bonito beleza de verdade, o ser humano REAL, sem as invencionisses da mídia que propõe um esteriótipo virtual e inatingível. Prefiro ver um sorriso com pequenas ruguinhas no canto do olho a ver um sorriso inexpressivo de botox – dessas mulheres que perdem a expressão facial, que perdem as curvas naturais, que perdem a beleza humana, que perdem a identidade.

Quero deixar claro que não sou contra tratamentos estéticos. É bem capaz que daqui a alguns anos você trombe comigo na rua e me veja de silicone, e talvez eu esteja usando um antirrugas ou tenha tomado algumas agulhadas na testa. Não é isso que critico. O que sou contra é a ditadura da beleza, a soberania de ideais inalcançáveis, a beleza perfeita, a juventude eterna.

Só que isso não quer dizer que você não possa/deva estar na SUA melhor forma, SUA melhor aparência, na melhor versão de você.

Pretendo curtir a minha vida com todas as características que a tornam humana e real. E quando eu chegar na terceira idade, quero aproveitar o que ela tem de bom.

(Ainda sonho com o dia em que a maioria da população será idosa, e a velhice será o padrão. Quem sabe um dia…)

Anúncios

Sobre Thay Dias

Mineira de Belo Horizonte, advogada e cristã. Adoro moda, culinária, dança, livros, filmes e me interesso por política.

Publicado em 05/08/2011, em Cadeira de Beleza e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: